Críticas

Zero Hora: “Super Nada destaca-se também pela oportunidade ímpar de ver Jair Rodrigues atuando”

Zero Hora faz uma análise de Super Nada:

A surpresa e a heterodoxia são realmente duas qualidades do segundo longa do realizador do igualmente instigante Corpo (2007) — ambos codirigidos por Rossana Foglia. A princípio, Super Nada parece ser um drama cômico sobre um versátil ator paulistano que batalha empregando seu talento em diversas atividades — curiosamente, esse argumento lembra o filme carioca Riscado (2011), de Gustavo Pizzi, que no ano passado rendeu o Kikito de melhor atriz para a ótima Karine Teles.
(Roger Lerina)

Leia o texto completo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Tags HTML estão proibidas.